Homossexualidade na Bíblia: A Verdade por Trás dos Mitos.

É realmente incrível que em pleno século XXI, 2017, ainda tenhamos que debater sobre permissão ou proibição da homossexualidade. De um lado os homossexuais lutando pelos seus direitos civis e exigindo respeito à sua individualidade. Do outro, religiosos  amedrontados com um suposto “atentado contra a família” e “crescimento do pecado”. Se dizem os homossexuais, com base em suas experiências diárias, que sentem sua sexualidade diversa desde sempre e entendem não poder mudá-la. Do outro lado posicionam-se os religiosos munidos da “verdade absoluta que é a Bíblia” para ensinar aos homossexuais que sua condição sexual é “depravada”  e “abominável diante  de Deus”. Por isso precisam de “arrependimento e cura.” Vamos conversar sobre uma das maiores polêmicas que a Religiosidade se posiciona de forma tão veemente . A homossexualidade e a Bíblia.

A ciência já avançou bastante nos estudos sobre a homossexualidade. Não só neste aspecto, mas na sexualidade diversa, como a bissexualidade e a identidade de gênero alterada. Segundo os estudos sérios desenvolvidos desde os primeiros anos do século passado, a sexualidade humana não é opcional. Isto é, não pode ser escolhida de modo conciente e nem revertida. A sexualidade se manifesta como é, a cada indivíduo.

Curiosamente não somos a única espécie no planeta que possui homossexuais no seu seio. São diversas espécies desde insetos a mamíferos, onde cientistas observaram o comportamento homo e até bissexual. O que por si só, já caracteriza como natural a existência da sexualidade diversa e não a heterossexualidade como sendo uma unanimidade absoluta. Um outro fato importante é que a homossexualidade e as demais formas de atração sexual, serão sempre minorias entre indivíduos de uma espécie. Sempre. O que já demonstra a impossibilidade da influenciação de seres por outros. Se influenciáveis fossem, ou o comportamento homossexual teria desaparecido totalmente por influência da gigantesca maioria heterossexual, ou teríamos sido infestados de homossexuais há milhares de anos, pela mera existência dos indivíduos homo. Em resumo, sempre haverá como maioria a população heterossexual e uma minoria com sexualidades diversas.

 

Foto: Basílica de São Pedro - Vaticano.
Foto: Basílica de São Pedro – Vaticano.

Mas como você provavelmente acessou o blog para entender sobre as considerações bíblicas sobre o tema, sem maiores delongas, vamos aos fatos. Vamos falar sobre todos os textos usados pelos religiosos  mais dogmáticos, para justificarem a suposta “condenação Divina” às práticas homossexuais.

Para estudarmos um texto milenar tão peculiar como a Bíblia, usarmos o que é nos oferecido para ler somente, não é a maneira menos viciada de interpretar. Por isso além do texto no idioma português brasileiro da tradução almeida Revisada Fiel, vou por algumas opções de tradução diversa sob cada texto. Para ler, basta clicar sobre os respectivos links.

 

Levítico 18:22:  “Com homem não te deitarás, como se fosse mulher; abominação é;”

Português (Internacional)  | Original (Hebraico) | Inglês (King James)

 

Gênesis 1:27:  “E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.”

Português  (Internacional) | Original (Hebraico)  | Inglês (king James)

 

Gênesis 2:24:  “Portanto deixará o homem o seu pai e a sua mãe, e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma carne.”

Português (Internacional  | Original (Hbraico)  | Inglês (King James)

 

Romanos 1:21-27:  “Porquanto, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes em seus discursos se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu. Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos. E mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, e de aves, e de quadrúpedes, e de répteis. Por isso também Deus os entregou às concupiscências de seus corações, à imundícia, para desonrarem seus corpos entre si; Pois mudaram a verdade de Deus em mentira, e honraram e serviram mais a criatura do que o Criador, que é bendito eternamente. Amém. Por isso Deus os abandonou às paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural, no contrário à natureza. E, semelhantemente, também os homens, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, homens com homens, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a recompensa que convinha ao seu erro.

Português (Internacional)  |  Grego(Textus Receptus)  |  Inglês (King James)

Gênesis 19:5-7:  “E chamaram a Ló, e disseram-lhe: Onde estão os homens que a ti vieram nesta noite? Traze-os fora a nós, para que os conheçamos. Então saiu Ló a eles à porta, e fechou a porta atrás de si, E disse: Meus irmãos, rogo-vos que não façais mal;

Português (Internacional)  | Original (hebraico)  |  Inglês (King James)

Juízes 19:22:  “Estando eles alegrando o seu coração, eis que os homens daquela cidade (homens que eram filhos de Belial) cercaram a casa, batendo à porta; e falaram ao ancião, senhor da casa, dizendo: Tira para fora o homem que entrou em tua casa, para que o conheçamos.”

Português (Internacional)  |  Original (Hebraico)  |  Inglês (King James)

1 Coríntios 6:9,10:  “Não sabeis que os injustos não hão de herdar o reino de Deus? Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus.

Português (Internacional)  |   Grego (Textus receptus)  |  Inglês (King James)

Observação: Saiba mais sobre o grego conhecido por Texto Receptus  neste link. O texto que serviu de base para a maioria das traduções do Novo Testamento, inclusive as que   foram tomadas por base à  tradução para o idioma português .

Foto: Lendo a Bíblia (Reprodução)
Foto: Lendo a Bíblia (Reprodução)

As impressões mais evidentes que temos ao ler cada texto em diferentes traduções, é a capacidade que possuem em, certos trechos, se transformarem em assuntos completamente diferentes uns dos outros. A que  provavelmente cause maior confusão, é a dita tradução Nova internacional em português. Para tentar atualizar as palavras e contextualizá-las, os tradutores imprimiram suas interpretações ao significado do  texto. Não foi uma tradução imparcial.  Os linguistas, que não se dão a alterar o intuito do autor ao compor sua obra, quando não conseguem traduzir um determinado vocábulo ou expressão, optam por deixá-la no idioma original, ou no máximo criar uma palavra com os caracteres fonéticos do que foi usado no texto original. Mas aparentemente, os tradutores da “Nova Versão Internacional (NVI), mudaram sem receios a obra bíblica. Por isso, a tradução dos Textos Sagrados  quando feita a qualquer preço, inevitavelmente irão induzir inúmeros fiéis ao erro.

Isso faz-nos refletir, se em plena era da informação, quando temos métodos de apurar confusões, comparar textos e contextos, e conflitar pontos de vista, Textos tidos como absolutamente Sagrados, estão sendo descaradamente alterados. Imaginemos como deve ter sido para os tradutores e copiadores destes textos na idade média. Sozinhos em suas clausuras, seus pensamentos e opiniões particulares. Fato de nossa humanidade é que invariavelmente se o tradutor não concorda com o autor, ele mudará o texto original. As vezes sem perceber.

E por que induziriam os fiéis ao erro? A resposta a essa pergunta é que somos seres dependentes do passado. Temos uma segurança, certas vezes justificável, em confiar nas experiências pregressas, nossa ou de conhecidos, para evitarmos o sofrimento no futuro. Por essa razão é muito difícil para um ser de mentalidade formada, reconsiderar conceitos religiosos orientados desde muito cedo na Igreja e pelos pais. A tendência para eles e a permanência nessa visão pela vida toda. E é justamente por isso que determinados métodos de culto medievais permanecem em prática ainda hoje.  As pessoas são levadas a acreditar que para servirem a Deus do modo correto, precisam parar a evolução de suas mentes e a evolução humana. É como se Deus tivesse estipulado que somente a faze da antiguidade fosse o modo correto de servi-lo. E neste caso, haverão implicações muito danosas. Pelo que somos compelidos a evoluir inevitavelmente. Seja tecnológica ou mesmo linguisticamente.

No tocante ao idioma. As palavras são mutáveis. Elas  ganham e perdem sentido muito rapidamente. Quando o religioso se propõe a interpretar um texto milenar com inúmeras alterações de contexto, interpretações modificadas por expressões oportunas de épocas distintas, invariavelmente ele estará lendo um texto quase totalmente diferente do que o autor original escreveu. Fazer porém, que o religioso atente-se para este fato é uma situação raríssima.

Mas se você tem dúvidas sobre o significado das pregações a cerca da temática homossexual, e deseja de modo imparcial, saber as raízes dessa  interpretação, irei elucidá-lo.

Dos trechos bíblicos usados para tentar evidenciar a condenação Divina às práticas homossexuais, as quais citadas acima, nem todas falam sobre a temática.  É  o caso de “Gênesis 1:27”, “Gênesis 2:24”, “Gênesis 19:5-7”, “Juízes 19:22” e “1 Coríntios 6:9,10”, cujo assunto tratado não se refere à proibições da prática homo afetiva.

No caso de “Levítico 18:22” e “Romanos 1:21-27” os autores parecem citar a prática homossexual sim. Se ignorarmos que a Bíblia possui 1189 capítulos, 31.102 versículos, 773.693 palavras e somente dois versículos [mau interpretados] falam sobre o tema, não conseguiremos compreender porque tanta importância as lideranças religiosas dão a essa questão.

"Deixai ir meu povo": Faraot e Moisés (Reprodução).
“Deixai ir meu povo”: Faraot e Moisés (Reprodução).

É impossível tentar interpretar a Bíblia sem se prestar a conhecer o contexto no qual foi escrita, e  por meio dos textos, entender como funcionava a mente do profeta.  Levítico, o terceiro livro da Bíblia e do pentateuco, é pela tradição judaico-cristã uma obra com autoria atribuída a Moisés. No entanto a edição pastoral das Escrituras, sustente que ela foi escrita após o cativeiro na Babilônia, entre 750 e 550 a.C. O livro tem diversas leis sanitárias e de alimentação. Se você lê-lo por completo, irá notar que a composição destina-se a tentar  impor regras ao povo que estaria no meio do deserto. Desta forma seriam   suscetíveis à escassez de alimentos, falta de água, passíveis de morrer caso houvesse contaminações transmitidas via sexo, entre outros detalhes. Moisés, segundo aprópria Bíblia, teve educação egípcia e como já dito aqui “é muito difícil para um ser de mentalidade formada, reconsiderar conceitos religiosos orientados desde muito cedo na Igreja e pelos pais”.

Sem colocar em cheque as comunicações de Moisés com deus, há de se ter uma noção de razuabilidade entre a possível transmissão de mandamentos oriundos da Divindade, e proveito tirado do conhecimento avançado em higiene e práticas de prevenção de doenças adotados pelos egípcios. (Saiba mais)

Mais do conceito de limpeza do corpo, as leis propostas em levítico previam a limpeza espiritual, a chamada “pureza” como um requisito mínimo para a viv~encia na sociedade pré-judaica. É usado várias e várias vezes os termos “puro” e “impuro” para adjetivarem práticas e objetos do seu cotidiano. E se tomarmos essa noção por base, logo veremos que se algo é puro de fato, não deixará jamais de sê-lo. Pois pelo que a própria religiosidade ensina a cerca dos mandamentos Divinos, “eles são imutáveis.” Deste modo, a pureza espiritual que, de acordo com os intérpretes mais literalistas, categorizam como “impura” a prática homossexual, deve servir às mesmas considerações do texto sobre cada um dos conceitos tratados nele.

O problema, caro leitor, é que esses literalistas costumam suavizar alguns conceitos mais radicais do livro de levítico.:

Quando uma mulher tiver fluxo de sangue que sai do corpo, a impureza da sua menstruação durará sete dias, e quem nela tocar ficará impuro até à tarde. “Tudo sobre o que ela se deitar durante a sua menstruação ficará impuro, e tudo sobre o que ela se sentar ficará impuro. Todo aquele que tocar em sua cama lavará as suas roupas e se banhará com água, e ficará impuro até à tarde. Quem tocar em alguma coisa sobre a qual ela se sentar lavará as suas roupas e se banhará com água, e estará impuro até à tarde. Quer seja a cama, quer seja qualquer coisa sobre a qual ela esteve sentada, quando alguém nisso tocar estará impuro até à tarde. “Se um homem se deitar com ela e a menstruação dela nele tocar, estará impuro por sete dias; qualquer cama sobre a qual ele se deitar estará impura. “Quando uma mulher tiver um fluxo de sangue por muitos dias fora da sua menstruação normal, ou um fluxo que continue além desse período, ela ficará impura enquanto durar o corrimento, como nos dias da sua menstruação. Qualquer cama em que ela se deitar enquanto continuar o seu fluxo estará impura, como acontece com a sua cama durante a sua menstruação, e tudo sobre o que ela se sentar estará impuro, como durante a sua menstruação. Quem tocar em alguma dessas coisas ficará impuro; lavará as suas roupas e se banhará com água, e ficará impuro até à tarde“. (Levítico 15:19-27)

Esse conceito de pureza do corpo e pureza da alma eram mesclados. Não bastava a noção básica da higiene, havia a noção que o ser tinha seu espírito prejudicado pela impureza de seu corpo.

Levítico 19:2-7:  “Fala a toda a congregação dos filhos de Israel, e dize-lhes: Santos sereis, porque eu, o Senhor vosso Deus, sou santo. Cada um temerá a sua mãe e a seu pai, e guardará os meus sábados. Eu sou o Senhor vosso Deus. Não vos virareis para os ídolos nem vos fareis deuses de fundição. Eu sou o Senhor vosso Deus.  E, quando oferecerdes sacrifício pacífico ao Senhor, da vossa própria vontade o oferecereis. No dia em que o sacrificardes, e no dia seguinte, se comerá; mas o que sobejar ao terceiro dia, será queimado com fogo. E se alguma coisa dele for comida ao terceiro dia, coisa abominável é; não será aceita.

Levítico 19:19-22:    “Guardarás os meus estatutos; não permitirás que se ajuntem misturadamente os teus animais de diferentes espécies; no teu campo não semearás sementes diversas, e não vestirás roupa de diversos estofos misturados. E, quando um homem se deitar com uma mulher que for serva (escrava) desposada com outro homem, e não for resgatada nem se lhe houver dado liberdade, então serão açoitados; não morrerão, pois ela não foi libertada. E, por expiação da sua culpa, trará ao Senhor, à porta da tenda da congregação, um carneiro da expiação, E, com o carneiro da expiação da culpa, o sacerdote fará propiciação por ele perante o Senhor, pelo pecado que cometeu; e este lhe será perdoado.

Levítico 19:26,27:  “Não comereis coisa alguma com o sangue; não agourareis nem adivinhareis. Não cortareis o cabelo, arredondando os cantos da vossa cabeça, nem danificareis as extremidades da tua barba.

Dos textos dispostos acima, anilisando-os criticamente, você consegue distinguir quais são os que tratam de conceitos de higiene e saúde, e quais são os que falam da crença do autor? E reanalisando sabe qual deles fala de mandamento Divino e qual são opiniões humanas do autor?

Se você respondeu para minha segunda questão qualquer resposta diferente de “todos”, você está errado. Pelo menos de acordo com os intérpretes literalistas das escrituras. Note, que foi disposto versículos, todos de um mesmo capítulo. E se você abrir o livro verá que o capítulo começa e termina desse exato modo:

Levítico 19:1,2,37:  “Falou mais o SENHOR a Moisés, dizendo: Fala a toda a congregação dos filhos de Israel, e dize-lhes: Santos sereis, porque eu, o Senhor vosso Deus, sou santo. (…) Por isso guardareis todos os meus estatutos, e todos os meus juízos, e os cumprireis. Eu sou o Senhor.

Então meu caro leitor, quem identifica quais Leis de Deus são válidas para nossos tempos, quais não são, quando a própria Lei de Deus auto-afirma-se como eterna? você  pode alegar que os líderes religiosos têm a autonomia para interpretarem a Bíblia. Mas se eles possuem tal “licença”, como conceber que a interpretação deles beneficie apenas os próprios conceitos de moralidade, em detrimento da percepção dos verdadeiros alvos de seu conceito, no caso de nosso tema, os homossexuais. Eles, os líderes religiosos, teriam a autonomia para considerar o mandamento “contra a homossexualidade” válido para os homossexuais, quando eles mesmos, por não serem homossexuais, não cometeriam tão pecado?

Foto: Templo em Jerusalém.
Foto: Templo em Jerusalém.

Se por si mesmo, o argumento religioso não consegue sustentar-se, quando o colocamos diante do argumento sociológico,  ele manifesta-se completamente falível e insólito. A sociedade judaico Cristão é patriarcal. Isto significa que embora seja um privilégio feminino a geração da prole humana, esses cultos afirmam que o chefe da família deve ser o homem.  A Criação, segundo a tradição bíblica começa por Adão, o humano masculino, e posteriormente veio a mulher.

Neste ponto podemos inserir o texto de “Gênesis 1:27”:

“criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.”

No entanto, precisamos ignorar contradições que ocorrerão a seguir. Vamos interpretar do melhor modo possível. Tomemos a base teológica convencional:

E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; e domine sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo o réptil que se move sobre a terra. E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou. E Deus os abençoou, e Deus lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar e sobre as aves dos céus, e sobre todo o animal que se move sobre a terra.” (Gênesis 1:26-28)

Gênesis 2:7,18,21-25:  “E formou o Senhor Deus o homem do pó da terra, e soprou em suas narinas o fôlego da vida; e o homem foi feito alma vivente. (…)  E disse o Senhor Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma ajudadora idônea para ele. (…) Então o Senhor Deus fez cair um sono pesado sobre Adão, e este adormeceu; e tomou uma das suas costelas, e cerrou a carne em seu lugar; E da costela que o Senhor Deus tomou do homem, formou uma mulher, e trouxe-a a Adão. E disse Adão: Esta é agora osso dos meus ossos, e carne da minha carne; esta será chamada mulher, porquanto do homem foi tomada. Portanto deixará o homem o seu pai e a sua mãe, e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma carne. E ambos estavam nus, o homem e a sua mulher; e não se envergonhavam.

Note a presença do trecho de “”Gênesis 2:24” nesse texto acima. A crença de Moisés fica evidenciada em sua obra. O homem foi criado por Deus a sua Imagem e semelhança. Porém o a mulher é a imagem do homem. Isto significa que a mulher foi criada com o fim de servir ao marido. Não meramente no sentido sexual da palavra. Mas para lhe ser útil, companheira e  possessão.

Na época mosaica, a mulher era somente mais uma posse do homem. O homem tinha sua casa, seus animais, sua mulher, suas roupas, etc. Para essa sociedade, a razão da existência de uma mulher é apenas para ser companheira de um homem. Paulo, o Apóstolo de Cristo, a quem foi atribuída composição das cartas que compõe parte do Novo Testamento, revela sua interpretação em diversos momentos de sua obra.

1 Coríntios 11:3-9:  “Mas quero que saibais que Cristo é a cabeça de todo o homem, e o homem a cabeça da mulher; e Deus a cabeça de Cristo. Todo o homem que ora ou profetiza, tendo a cabeça coberta, desonra a sua própria cabeça. Mas toda a mulher que ora ou profetiza com a cabeça descoberta, desonra a sua própria cabeça, porque é como se estivesse rapada. Portanto, se a mulher não se cobre com véu, tosquie-se também. Mas, se para a mulher é coisa indecente tosquiar-se ou rapar-se, que ponha o véu. O homem, pois, não deve cobrir a cabeça, porque é a imagem e glória de Deus, mas a mulher é a glória do homem. Porque o homem não provém da mulher, mas a mulher do homem. Porque também o homem não foi criado por causa da mulher, mas a mulher por causa do homem.

1 Coríntios 14:34,35:  “As vossas mulheres estejam caladas nas igrejas; porque não lhes é permitido falar; mas estejam sujeitas, como também ordena a lei. E, se querem aprender alguma coisa, interroguem em casa a seus próprios maridos; porque é vergonhoso que as mulheres falem na igreja.

Efésios 5:22-24:  “Mulheres, sujeitem-se a seus maridos, como ao Senhor, pois o marido é o cabeça da mulher, como também Cristo é o cabeça da igreja, que é o seu corpo, do qual ele é o Salvador. Assim como a igreja está sujeita a Cristo, também as mulheres estejam em tudo sujeitas a seus maridos.

1 Timóteo 2:9-15:  “Que do mesmo modo as mulheres se ataviem em traje honesto, com pudor e modéstia, não com tranças, ou com ouro, ou pérolas, ou vestidos preciosos, Mas (como convém a mulheres que fazem profissão de servir a Deus) com boas obras. A mulher aprenda em silêncio, com toda a sujeição. Não permito, porém, que a mulher ensine, nem use de autoridade sobre o marido, mas que esteja em silêncio. Porque primeiro foi formado Adão, depois Eva. E Adão não foi enganado, mas a mulher, sendo enganada, caiu em transgressão. Salvar-se-á, porém, dando à luz filhos, se permanecer com modéstia na fé, no amor e na santificação.

Colossenses 3:18,19:  “Vós, mulheres, estai sujeitas a vossos próprios maridos, como convém no Senhor. Vós, maridos, amai a vossas mulheres, e não vos irriteis contra elas.

2 Timóteo 3:6,7:  “Porque deste número são os que se introduzem pelas casas, e levam cativas mulheres néscias carregadas de pecados, levadas de várias concupiscências; Que aprendem sempre, e nunca podem chegar ao conhecimento da verdade.

Tito 2:3-5:  “As mulheres idosas, semelhantemente, que sejam sérias no seu viver, como convém a santas, não caluniadoras, não dadas a muito vinho, mestras no bem; Para que ensinem as mulheres novas a serem prudentes, a amarem seus maridos, a amarem seus filhos, A serem moderadas, castas, boas donas de casa, sujeitas a seus maridos, a fim de que a palavra de Deus não seja blasfemada.

Paulo deixa a visão não somente dele, mas de toda a sociedade judaica da época, bem clara. Se o homem é superior naturalmente à mulher, o “pecado da homossexualidade” é praticado somente por ele.

Os textos paulinos exortam aos cristãos apenas com relação aos pecados  sexuais dos homens. A mulher, segundo a visão primitiva, é naturalmente lasciva e impura. O homem precisa conter-se.  Precisa manter-se longe do pecado. E se partimos dessa premiça, constatamos que o pecado da homossexualidade masculina só é pecaminosa, na mente desses antigos líderes, pois é uma agressão contra a masculinidade de Deus.

Serei mais claro. Quando a Bíblia indica que o homem fora criado à imagem e semelhança de Deus, os profetas entendiam isso fisicamente. Deus, segundo o entendimento primitivo, possui características masculinas. em todos os sentidos da palavra masculina, se é que fui suficientemente claro…

Quando portanto, o homem deita-se com outro, submisso a ele como se fosse mulher, ele estaria fazendo isso não somente com seu próprio corpo, mas com algo que é a pura semelhança do Altíssimo. este seria o pleno pecado da homossexualidade. portanto, os profetas como Paulo e moisés, não considerariam a afetividade entre esses homens. Mas o ato sexual em si. Soma-se a isso a prática de sexo entre homens  pela sociedade romana. Era comum para os soldados Romanos, que ficavam muito tempo em campanhas distantes de suas casas, abusarem de jovens, geralmente meninos, para satosfazerem-se sexualmente. Paulo observava extremamente revoltado, e com razão, tais práticas absurdas.

Isso nos trás ao texto que o Apóstolo escreveu aos cristãos em Roma, “Romanos 1:21-27”, texto que tem a única aparentemente menção sobre homossexualidade feminina em toda a Bíblia,além da única menção que o Apóstolo fez de fato sobre a masculina. Dela podemos aferir dois pontos que Paulo, como na grande maioria de suas cartas, escreve aconselhando e criticando as Igrejas.

O absurdo de possuir-se um escravo sexual adolescente e a forma tão “normal” com a  qual a sociedade Romana via aquilo, o encomodava e ele sentia que os Cristãos pareciam estarem acomodados em demasia com aquilo. Para que tais práticas não tornassem “normais” entre os cristãos, ele lembrava do pecado ensinado pela Lei mosaica.

Mas e o caso das mulheres  que “mudaram o uso natural, no contrário à natureza”? (Romanos: 1:26)

É importante que saibamos que o “natural” ao qual o apóstolo se refere não é o mesmo que nós entendemos por natural hoje. Natural para Paulo, seria a tradição consolidada pelos povos descentes. Em 1 Coríntios 11:14,15 o profeta fala:  “A própria natureza das coisas não lhes ensina que é uma desonra para o homem ter cabelo comprido, e que o cabelo comprido é uma glória para a mulher? Pois o cabelo comprido foi lhe dado como manto.” De modo que se ele usava o termo natureza, para descrever as leis naturais que conhecemos hoje, seria lógico pensar que o natural para o homem e para mulher, é ter cabelos longos, pois eles crecem naturalmente para ambos. Mas a tradição pedia o contrário. E era com base nessa tradição que o Apóstolo falava de natureza.

Se você já compreendeu que o pecado da homossexualidade é, na visão dos profetas, um pecado da corrupção do corpo cometida por homens. Quando Paulo cita que mulheres estavam agindo “contra a natureza”. Se realmente ele se referia a relações sexuais entre elas. Ele queria possivelmente ensinuar que faziam isso por não serem saciadas pelos maridos. Caberia a eles prover a atividade sexual a suas esposas.

Os homens da antiguidade não tem culpa da visão que possuíam. São pessoas com as melhores intenções e crentes de estarem fazendo o mais correto. Mas a partir do momento que adquirimos o entendimento razoável para discernir que algumas atitudes são injustas e anti éticas, passamos sim a ser tendenciosos e maldosos quando persistimos nos erros deles.

Mas o que dizer de Sodoma?

Imagem alegórica: Destruição de Sodoma (Reprodução).
Imagem alegórica: Destruição de Sodoma (Reprodução).

É enorme a quantidade de religiosos que replicam uma interpretação equivocada dos motivos que levaram Deus a destruir as cidades de Sodoma e Gomorra, tenha sido a conduta homossexual de seus habitantes.  Mas se de fato você for ler, verá que o texto fala de outras questões.

Gênesis 18:20-33: “Disse mais o Senhor: Porquanto o clamor de Sodoma e Gomorra se tem multiplicado, e porquanto o seu pecado se tem agravado muito, Descerei agora, e verei se com efeito têm praticado segundo o seu clamor, que é vindo até mim; e se não, sabê-lo-ei. Então viraram aqueles homens os rostos dali, e foram-se para Sodoma; mas Abraão ficou ainda em pé diante da face do Senhor. E chegou-se Abraão, dizendo: Destruirás também o justo com o ímpio? Se porventura houver cinqüenta justos na cidade, destruirás também, e não pouparás o lugar por causa dos cinqüenta justos que estão dentro dela? Longe de ti que faças tal coisa, que mates o justo com o ímpio; que o justo seja como o ímpio, longe de ti. Não faria justiça o Juiz de toda a terra? Então disse o Senhor: Se eu em Sodoma achar cinqüenta justos dentro da cidade, pouparei a todo o lugar por amor deles. (…)  Disse mais: Ora, não se ire o Senhor, que ainda só mais esta vez falo: Se porventura se acharem ali dez? E disse: Não a destruirei por amor dos dez. E retirou-se o Senhor, quando acabou de falar a Abraão; e Abraão tornou-se ao seu lugar.

Gênesis 19:1-16:  “E vieram os dois anjos a Sodoma à tarde, e estava Ló assentado à porta de Sodoma; e vendo-os Ló, levantou-se ao seu encontro e inclinou-se com o rosto à terra; E disse: Eis agora, meus senhores, entrai, peço-vos, em casa de vosso servo, e passai nela a noite, e lavai os vossos pés; e de madrugada vos levantareis e ireis vosso caminho. E eles disseram: Não, antes na rua passaremos a noite. E porfiou com eles muito, e vieram com ele, e entraram em sua casa; e fez-lhes banquete, e cozeu bolos sem levedura, e comeram. E antes que se deitassem, cercaram a casa, os homens daquela cidade, os homens de Sodoma, desde o moço até ao velho; todo o povo de todos os bairros. E chamaram a Ló, e disseram-lhe: Onde estão os homens que a ti vieram nesta noite? Traze-os fora a nós, para que os conheçamos. Então saiu Ló a eles à porta, e fechou a porta atrás de si, E disse: Meus irmãos, rogo-vos que não façais mal; Eis aqui, duas filhas tenho, que ainda não conheceram homens; fora vo-las trarei, e fareis delas como bom for aos vossos olhos; somente nada façais a estes homens, porque por isso vieram à sombra do meu telhado. Eles, porém, disseram: Sai daí. Disseram mais: Como estrangeiro este indivíduo veio aqui habitar, e quereria ser juiz em tudo? Agora te faremos mais mal a ti do que a eles. E arremessaram-se sobre o homem, sobre Ló, e aproximaram-se para arrombar a porta. Aqueles homens porém estenderam as suas mãos e fizeram entrar a Ló consigo na casa, e fecharam a porta; E feriram de cegueira os homens que estavam à porta da casa, desde o menor até ao maior, de maneira que se cansaram para achar a porta. Então disseram aqueles homens a Ló: Tens alguém mais aqui? Teu genro, e teus filhos, e tuas filhas, e todos quantos tens nesta cidade, tira-os fora deste lugar; Porque nós vamos destruir este lugar, porque o seu clamor tem aumentado diante da face do Senhor, e o Senhor nos enviou a destruí-lo. Então saiu Ló, e falou a seus genros, aos que haviam de tomar as suas filhas, e disse: Levantai-vos, saí deste lugar, porque o Senhor há de destruir a cidade. Foi tido porém por zombador aos olhos de seus genros. E ao amanhecer os anjos apertaram com Ló, dizendo: Levanta-te, toma tua mulher e tuas duas filhas que aqui estão, para que não pereças na injustiça desta cidade. Ele, porém, demorava-se, e aqueles homens lhe pegaram pela mão, e pela mão de sua mulher e de suas duas filhas, sendo-lhe o Senhor misericordioso, e tiraram-no, e puseram-no fora da cidade.

Quando você lê, tendo um entendimento básico dessa história, percebe que as iniquidades de Sodoma eram, ou deviam ser muito graves. Para uma comunidade nômade, como eram os pré-israelitas a quem Moisés contava esta história [Não esqueça que Gênesis foi escrito por Moisés para o povo.], o medo de não serem recebidos numa cidade pode ser aterrorizante. Aquelas pessoas valorizavam acima de tudo a hospitalidade. Numa época onde ser bem recebido em uma aldeia no meio do deserto, ou expulso, podia ser um ponto decisivo entre a vida ou a morte.

Dentre os muitos pecados cometidos pelos seus habitantes, o autor da história quis evidenciar o mais grave. A agressão deliberada aos visitantes estrangeiros., representados ali pelos dois anjos. Os homens da cidade foram em peso para a porta da casa de Ló, do “mais novo ao mais velho”.  Se de fato eles queriam praticar sexo com os anjos, note que o sexo é forçado. em determinado ponto Ló apela : “Meus irmãos, rogo-vos que não façais mal;” e acrescenta, “Eis aqui, duas filhas tenho, que ainda não conheceram homens; fora vo-las trarei, e fareis delas como bom for aos vossos olhos; somente nada façais a estes homens, porque por isso vieram à sombra do meu telhado.” Mas para aqueles homens, o interesse era em cometer crueldade com os forasteiros, por isso retrucaram eles: “Sai daí. Disseram mais: Como estrangeiro este indivíduo veio aqui habitar, e quereria ser juiz em tudo? Agora te faremos mais mal a ti do que a eles. E arremessaram-se sobre o homem, sobre Ló, e aproximaram-se para arrombar a porta. Gênesis 19:9” Fica evidenciado o preconceito, ou conceito dos habitantes quanto a forasteiros.

Poucos consideram imoral e cruel da parte de Ló oferecer suas duas filhas virgens para tranquilizar os homens enfurecidos. Eles se concentram no aparente desejo carnal dos habitantes para com os anjos. Mas o sexo aí não entra como a prática que o próprio Moisés ensinou em levítico. O sexo, cao fosse essa a intenção daqueles homens, serviria de punião, de tortura.

O porta voz dos moradores sabe que suas intenções são más. Ele adi mite querer usá-las para ferir os estrangeiros, não para seu prazer sexual. Se você compreende que sujeitar um homem na posição “inferi-or” de uma mulher, é o mesmo que fazê-lo a Deus, imagine proceder dessa forma para com dois emissários do Divino. Para qualquer homem, hetero ou homossexual, e para qualquer mulher, hetero ou homossexual, serem violados em sua sexualidade é um crime traumático e cruelíssimo. No tocante ao homem criado machista e educado que sua natureza é a mesma de Deus,, os danos psicológicos beiram a aniquilação do ser. Se houvesse um ato mais cruel, para Ló, ou para Moisés  (que narra a história), acima de permitir suas filhas serem violadas por uma cidade inteira, é permitir que tal ato seja praticado contra o próprio Deus.

Identificamos que os pecados de Sodoma são basicamente a idolatria, por não respeitar a Soberania de Deus, e a corrupção contra os migrantes. Deviam também roubar, espancar entre outros crimes possíveis de se promover contra quem está de passagem por sua cidade.

"Pedra que na tradição judaica, seria a mulher de ló transformada depois de ter olhado para trás na fulga de Sodoma (Reprodução).
“Pedra que na tradição judaica, seria a mulher de ló transformada depois de ter olhado para trás na fulga de Sodoma (Reprodução).

Mas se você acredita não serem esses, convido a considerar os pontos resultantes da interpretação que comumente é feita pelos religiosos alegando que o “x” da questão seria a homossexualidade dos habitantes de Sodoma. Resultados lógicos de uma equação que não fecha e não existe o menor esforço ou reforço teológico para que eles continuem a reproduzir essa teoria.

1 – Se aceitarmos que os habitantes de Sodoma eram em sua totalidade homossexuais, como eles conseguiram reproduzir sozinhos uma cidade inteira?

2 – O texto conta que compareceram á porta de Ló todos os homens da cidade. “Do mais velho ao mais moço”. Se de fato o intuito deles era praticar sexo com os anjos, para que foram as crianças, se crianças não praticam sexo?

3 – Do mesmo modo, fala que a multid~]ao a frente da porta de Ló era totalmente masculina. Se as mulheres não tentaram cometer mal algum contra os anjos e a família de Ló, por que elas deveriam ser destruídas junto com os homens, se eram inocentes?

4 – Se a cidade é composta de habitantes homossexuais completamente, como Lò teria genros?

5 –  Se os habitantes eram pessoas depravadas sexualmente, o que Ló, um evidente homem de Deus fazia num local assim? por que não se mudou para outro povoado há algum tempo? pelo que só deixou a cidade no momento que ela seria destruída.

6 – Se eram os habitantes perversos estupradores homossexuais que não controlavam seus impulsos carnais, porque eles nunca haviam estuprado a Ló e aos seus genros? Pelo que se compreende, o servo de Deus morava ali já há algum tempo.

7 – Uma cidade como Sodoma, se havia alguma reprodução, pelo que a cidade não foi extinta antes, certamente haveriam bebês de colo em algumas casas. Como conceber que não houvesse o número mínimo estabelecido de “dez justos” naquele local? Ou além do próprio Ló, suas duas filhas, sua esposa e seus futuros genros, não faltariam apenas mais quatro pessoas? E bebês, não seriam justos, por serem crianças inocentes?

Semelhante à  história de Sodoma e do conflito de Ló e os anjos, a passagem em “Juízes 19:22” reconta com outros protagonistas,  do abuso ao fim trágico. Porém dá um desfecho diferente. Ressaltemos que é outra situação. Mas repare nas semelhanças e nas diferenças, pois ambas características são igualmente importantes.

Juízes 19:10-30:  “Porém o homem não quis ali passar a noite, mas levantou-se, e partiu, e chegou até defronte de Jebus (que é Jerusalém), e com ele o par de jumentos albardados, como também a sua concubina. Estando, pois, já perto de Jebus, e tendo-se já declinado muito o dia, disse o moço a seu senhor: Vamos agora, e retiremo-nos a esta cidade dos jebuseus, e passemos ali a noite. Porém disse-lhe seu senhor: Não nos retiraremos a nenhuma cidade estranha, que não seja dos filhos de Israel; mas iremos até Gibeá. Disse mais a seu moço: Vamos, e cheguemos a um daqueles lugares, e passemos a noite em Gibeá ou em Ramá. Passaram, pois, adiante, e caminharam, e o sol se lhes pôs junto a Gibeá, que é cidade de Benjamim. E retiraram-se para lá, para passarem a noite em Gibeá; e, entrando ele, assentou-se na praça da cidade, porque não houve quem os recolhesse em casa para ali passarem a noite. E eis que um velho homem vinha à tarde do seu trabalho do campo; e era este homem da montanha de Efraim, mas peregrinava em Gibeá; eram porém os homens deste lugar filhos de Benjamim. Levantando ele, pois, os olhos, viu a este viajante na praça da cidade, e disse o ancião: Para onde vais, e donde vens? E ele lhe disse: Viajamos de Belém de Judá até aos lados da montanha de Efraim, de onde sou; porquanto fui a Belém de Judá, porém agora vou à casa do Senhor; e ninguém há que me recolha em casa, Todavia temos palha e pasto para os nossos jumentos, e também pão e vinho há para mim, e para a tua serva, e para o moço que vem com os teus servos; de coisa nenhuma há falta. Então disse o ancião: Paz seja contigo; tudo quanto te faltar fique ao meu cargo; tão-somente não passes a noite na praça. E levou-o à sua casa, e deu pasto aos jumentos; e, lavando-se os pés, comeram e beberam. Estando eles alegrando o seu coração, eis que os homens daquela cidade (homens que eram filhos de Belial) cercaram a casa, batendo à porta; e falaram ao ancião, senhor da casa, dizendo: Tira para fora o homem que entrou em tua casa, para que o conheçamos. E o homem, dono da casa, saiu a eles e disse-lhes: Não, irmãos meus, ora não façais semelhante mal; já que este homem entrou em minha casa, não façais tal loucura. Eis que a minha filha virgem e a concubina dele vo-las tirarei fora; humilhai-as a elas, e fazei delas o que parecer bem aos vossos olhos; porém a este homem não façais essa loucura. Porém aqueles homens não o quiseram ouvir; então aquele homem pegou da sua concubina, e lha tirou para fora; e eles a conheceram e abusaram dela toda a noite até pela manhã, e, subindo a alva, a deixaram. E ao romper da manhã veio a mulher, e caiu à porta da casa daquele homem, onde estava seu senhor, e ficou ali até que se fez claro. E, levantando-se seu senhor pela manhã, e abrindo as portas da casa, e saindo a seguir o seu caminho, eis que a mulher, sua concubina, jazia à porta da casa, com as mãos sobre o limiar. E ele lhe disse: Levanta-te, e vamo-nos, porém ela não respondeu; então, levantando-se o homem a pôs sobre o jumento, e foi para o seu lugar. Chegando, pois, à sua casa, tomou um cutelo, e pegou na sua concubina, e a despedaçou com os seus ossos em doze partes; e enviou-as por todos os termos de Israel. E sucedeu que cada um que via aquilo dizia: Nunca tal se fez, nem se viu desde o dia em que os filhos de Israel subiram da terra do Egito, até ao dia de hoje; ponderai isto, considerai, e falai.

Juízes 20:1-11:  “Então todos os filhos de Israel saíram, e a congregação se ajuntou, perante o SENHOR em Mizpá, como se fora um só homem, desde Dã até Berseba, como também a terra de Gileade. E os principais de todo o povo, de todas as tribos de Israel, se apresentaram na congregação do povo de Deus; quatrocentos mil homens de pé que tiravam a espada (Ouviram, pois, os filhos de Benjamim que os filhos de Israel haviam subido a Mizpá). E disseram os filhos de Israel: Falai, como sucedeu esta maldade? Então respondeu o homem levita, marido da mulher que fora morta, e disse: Cheguei com a minha concubina a Gibeá, cidade de Benjamim, para passar a noite. E os cidadãos de Gibeá se levantaram contra mim, e cercaram a casa de noite; intentaram matar-me, e violaram a minha concubina, de maneira que morreu. Então peguei na minha concubina, e fi-la em pedaços, e a enviei por toda a terra da herança de Israel; porquanto fizeram tal malefício e loucura em Israel. Eis que todos sois filhos de Israel; dai aqui a vossa palavra e conselho. Então todo o povo se levantou como um só homem, dizendo: Nenhum de nós irá à sua tenda nem nenhum de nós voltará à sua casa. Porém isto é o que faremos a Gibeá: procederemos contra ela por sorte. E de todas as tribos de Israel, tomaremos dez homens de cada cem, e cem de cada mil, e mil de cada dez mil, para providenciarem mantimento para o povo; para que, vindo ele a Gibeá de Benjamim, lhe façam conforme a toda a loucura que tem feito em Israel. Assim ajuntaram-se contra esta cidade todos os homens de Israel, unidos como um só homem.

Para interpretar a Bíblia, não se pode ter preguiça de lê-la. Após ter compreendido o texto. Quala  relevância da questão sexual entre os possíveis agressores e o levita que seria vítima? Se você acredita ser “Nenhuma”, está plenamente correto. Este texto conta a mesma história de Sodoma e Gomorra com personagens mais próximos da realidade dos Filhos de Israel. Deixa claro a maldade praticada em não atender bem o forasteiro e ainda agredir quem faz o acolhimento. Neste caso não só o erro é evidenciado, como também a declaração de guerra é feita pelos líderes do povo pr-é-israelita.

Se o “pecado de Sodoma não é a homossexualidade, d’onde vem o termo “sodomia?

Imagem alegórica: Apóstolo Paulo. (Reprodução).
Imagem alegórica: Apóstolo Paulo (Reprodução).

Na realidade, precisamos recorrer á Bíblia novamente para explicar esta situação. Tradicionalmente a Igreja afirma que a Palavra Sodomita que alega estar em “1 Coríntios 6:9” refere-se à homossexualidade dos habitantes de sodoma e de seu pecado abominável. Mas na realidade, essa palavra não foi usada. No original grego, Paulo usa o termo “arsenokoitai”. Contudo essa palavra  é um termo “obscuro” (sem significado literal), pois tal expressão não aparece na literatura secular grega. Sendo encontrada apenas  nestes escritos de Paulo (1Co 6:9; e 1Tm 1:10) e, posteriormente nos Oráculos Proféticos (Sibylline Oracles) e em mais nenhuma outra literatura na história . Acredita-se que Paulo tenha usado uma espécie de neologismo, mas seu significado não poder ser alcançado a partir de um contexto – fica impossível determinar seu significado literal.” Arsenokoitai” dá uma ideia ao conceito de prostituição cultual muito comum no Antigo Testamento, quando meninos eram vendidos como kadeshim, ou “prostitutos cultuais”, para os templos pagãos, como os de Dionísio, Baal e Diana, ou mesmo homens livres se faziam sacerdotes sexuais para se dedicarem a esses templos de frequente idolatria. Há um consenso então, de que Paulo afirma que são os prostitutos cultuais que não herdarão o reino dos céus. A Bíblia de Jerusalém (umas das traduções mais fieis aos antigos textos – onde teólogos judeus, cristãos e protestantes traduziram do hebraico, aramaico e grego para o francês sem intermediações), não concordara em hipótese alguma com as traduções “afeminado” (malakoi) e “sodomita” (arsenokoitai), por fugir do contexto e da significação das palavras. Assim traduziu “malakoi” como “depravados” e “arsenokoitai” como “pessoas de costumes infames”. Já em 1 Tm 1:10 a palavra “arsenokoitai” se repete e veio na versão da Bíblia de Jerusalém como “pederastas” – relacionamento erótico entre um homem e um menino.

1 Coríntios 6:9 (na Bíblia de Jerusalém): “Então não sabeis que os injustos não herdarão o Reino de Deus? Não vos iludais. Nem os devassos, nem os idólatras, nem adúlteros, nem os depravados, nem as pessoas de costumes infames”.

E portanto nem cabe falar do termo “efeminado” que pela explicação acima, é evidenciado como literalmente “mole”, no idioma escrito originalmente o Novo Testamento. A não ser realmente que você considere que os “moles” não herdarão o Reino de Deus..

Se ao colocarmos tais evidências esmiuçadas diante de certos religiosos, eles já se escandalizam. Imagine se fosse evidenciado a presença de comportamentos homossexuais dentro da Bíblia?

 

Teria a Bíblia Evidências de Personagens Gays ou Bissexuais?

Textos da Bíblia podem ensinuar que talvez a amizade do Rei davi e o filho de Saul, o antigo Rei de Israel, pudesse ser algo além de simples carinho fraterno?
“Davi & Jônatas, amigos mais chegados que irmãos” (Reprodução: internet).

 

Nós encontramos em um dos personagens mais proeminentes do relato Bíblico uma relação qe assemelha-se muito ao relacionamento romântico entre dois homens. Davi e Jônatas. Não é de hoje que os teólogos debatem sobre a relação deles. Em primeiro lugar pelo suposto mandamento Divino que proíbe a relação sexual entre dois homens, e segundo pelo que após Jônatas, os textos Sagrados descrevem as relações de Davi unicamente com mulheres.

Mas outra parcela de teólogos não conseguem disfarçar a a evidente diferença entre uma relação de amizade pura e amor romântico, e nada melhor que deixar os próprios textos falarem por si. Para isso, caso você tenha uma Bíblia em casa, peço que a pegue para ler o texto. Caso não possua, clique aqui para abrir a Bíblia online.

A nossa leitura começa em 1 Samuel no capítulo 18 a partir do 1º versículo:

E sucedeu que, acabando ele de falar com Saul, a alma de Jônatas se ligou com a alma de Davi; e Jônatas o amou, como à sua própria alma. E Saul naquele dia o tomou, e não lhe permitiu que voltasse para casa de seu pai.  E Jônatas e Davi fizeram aliança; porque Jônatas o amava como à sua própria alma. E Jônatas se despojou da capa que trazia sobre si, e a deu a Davi, como também as suas vestes, até a sua espada, e o seu arco, e o seu cinto. ” (1 Samuel 18:1-4)

Para efeito de melhor interpretação do texto, eu recomendo que você continue lendo.  Do versículo 5 em diante, Davi, por enquanto apenas um homem pobre começava a se tornar um soldado valioso no exército do rei Saul. Tão valioso que o rei achou conveniente dar sua filha em matrimônio com Davi, sem lhe importar a questão do dote. Davi era pobre, não tinha a menor condição de pagar um dote ao rei. Mas o que é perceptível, é que o texto fala:

Mas Mical, a outra filha de Saul amava a Davi; o que, sendo anunciado a Saul, pareceu isto bom aos seus olhos.” (1 Samuel 18:20).

Realmente não houve tantas palavras para denotar o interesse romântico de Mical para Davi. O povo amava Davi, o rei amava Davi, a filha do rei amava Davi, mas Jônatas amava Davi “como à sua própria alma”. Mas para podermos analisar de modo mais frio, eu recomendo sim que você leia por conta própria a continuação do texto. O rei começa a sentir ciúmes de Davi. Começa a cogitar que talvez o jovem cobiçasse seu trono. Foi com esses pensamentos que Saul pediu a Jônatas e aos servos que caçassem Davi e o matassem. Mas Jônatas o acalmou e o fez considerar o quanto o jovem havia feito  pelo reino de seu pai. Davi arriscou a própria vida pelo reino. Merecia mais consideração da parte do rei. Assim Jônatas conseguiu evitar que Davi morresse, por enquanto.

Estamos quase na metade do capítulo 19 e o rei novamente se encoleriza. Manda mensageiros matarem Davi, mas ajudado pela outra filha de Saul, o jovem consegue fugir e os guardas são logrados por uma estátua deitada na cama de Davi. Ao ver a cena o rei ficou possesso com sua filha.  Por isso mandou criados pela região procurarem Davi para dar cabo dele. O jovem conseguiu ser escondido junto ao profeta Samuel, o autor do livro, e os criados ficaram com medo das profecias que eram ditas pelo próprio Samuel e os demais sacerdotes.

O próximo capítulo, o 20, já começa com um diálogo entre o jovem e seu amigo Jônatas. Eles conversam sobre a fúria do rei e seus desejos de matar Davi.  É durante esse diálogo que podemos observar mais  falas muito consideráveis.

Então Davi tornou a jurar, e disse: Teu pai sabe muito bem que achei graça em teus olhos; por isso disse: Não saiba isto Jônatas, para que não se magoe. Mas, na verdade, como vive o Senhor, e como vive a tua alma, há apenas um passo entre mim e a morte.” (1 Samuel 20:3)

Jônatas vai tentar convencer seu pai novamente. Vai tentar sondá-lo e saber como será para Davi e para isso, combinam um sinal para Davi aparecer e vir falar com o rei, ou fugir para longe. Mas deu tudo errado para o jovem. Saul estava irredutível. Jônatas se enfureceu com seu pai e foi encontrar com Davi para contá-lo tudo. Levou consigo um garoto que apanhava as flechas atiradas, uma espécie de ajudante. No acordo que fez com Davi, ele já havia incluído a presença desse garoto para sinalizar o que teria acontecido. Como combinado antes, Jônatas gritou uma frase específica ao moço e Davi soube naquele momento que as coisas foram mal.

“E, indo-se o moço, levantou-se Davi do lado do sul, e lançou-se sobre o seu rosto em terra, e inclinou-se três vezes; e beijaram-se um ao outro, e choraram juntos, mas Davi chorou muito mais. E disse Jônatas a Davi: Vai-te em paz; o que nós temos jurado ambos em nome do Senhor, dizendo: O Senhor seja entre mim e ti, e entre a minha descendência e a tua descendência, seja perpetuamente. Então se levantou Davi, e partiu; e Jônatas entrou na cidade.” (1 Samuel 20:41-43)

Isso foi um adeus de duas pessoas que se amam e não podem ficar juntas? Alguns acreditam que não. Faça um pequeno teste, coloquemos em vez de Jônatas, um nome mais comum na região, Míriam, ou Maria. Leia novamente:

“E sucedeu que, acabando ele de falar com Saul, a alma de Míriam se ligou com a alma de Davi; e Míriam o amou, como à sua própria alma. E Saul naquele dia o tomou, e não lhe permitiu que voltasse para casa de seu pai.  E Míriam e Davi fizeram aliança; porque Míriam o amava como à sua própria alma. E Míriam se despojou da capa que trazia sobre si, e a deu a Davi, como também as suas vestes, até a sua espada, e o seu arco, e o seu cinto. ”

“”Então Davi tornou a jurar, e disse: Teu pai sabe muito bem que achei graça em teus olhos; por isso disse: Não saiba isto Míriam, para que não se magoe. Mas, na verdade, como vive o Senhor, e como vive a tua alma, há apenas um passo entre mim e a morte.”

“E, indo-se o moço, levantou-se Davi do lado do sul, e lançou-se sobre o seu rosto em terra, e inclinou-se três vezes; e beijaram-se um ao outro, e choraram juntos, mas Davi chorou muito mais. E disse Míriam a Davi: Vai-te em paz; o que nós temos jurado ambos em nome do Senhor, dizendo: O Senhor seja entre mim e ti, e entre a minha descendência e a tua descendência, seja perpetuamente. Então se levantou Davi, e partiu; e Míriam entrou na cidade.”

Viu alguma mudança? Eu não mudei nenhuma palavra, nem pronomes ou ordem. A única mudança nos textos foi do nome de Jônatas para um nome feminino. Consegue no entanto perceber que o sentido fica muito mais romântico? será que é justamente porque a relação entre eles deveria ser muito mais romântica? Saber com certeza é impossível.

Recomendo que leia depois o capítulo 1 de 2 Samuel. Neste outro texto, mais sobre o fim trágico dessa  relação e a morte de Jônatas, fazem Davi dar seu último testemunho sobre o que sentia por ele. No texto Davi faz uso de uma expressão coloquial,  que foi traduzida para o português com o significado de  ‘irmão’.  Mas é sabido que infelizmente, o aramaico antigo e o próprio hebraico, não possuíam palavras distintas  para irmãos, amantes ou  primos. Além de outras palavras com vários sentidos que poderiam ser confundidas com outras e por em risco a interpretação, o que faria  mais tarde a Igreja a traduzir toda a Bíblia para o Grego, afim de dar sentido mais coeso aos textos.  De modo que, no texto o qual estudamos,  continuará a ser impossível entender se quando davi chama Jônatas de irmão, estava falando no sentido de carinho fraternal, ou se estava falando com carinho romântico.

Venho ao meu jardim, minha irmã, noiva minha, para colher a minha mirra com o meu bálsamo, para comer o meu favo com o meu mel, e beber o meu vinho com o meu leite. Comei, amigos, bebei abundantemente, ó amados.” (Cantares de Salomão 5:5).

 

Tendo em vistas estas informações, cabe a você leitor, continuar mantendo sua posição cômoda a cerca da homossexualidade, ou tentar rever os conceitos. Falaremos mais sobre o assunto em outra oportunidade. Como visto, ele rende muito o que se discutir. Até o próximo capítulo.

 

 

 

Karlos Souza

Nascido em Montes Claros/MG em Janeiro de 1987, morador de brasília desde 2004, estudou Letras e literatura, mas sua paixão sempre foi a tecnologia. Fazendo um pouco de tudo, Karlos estudou também teologia e aventurou-se em escatologia. Fora das ciências humanas, também tem como hobby o estudo de astronomia e cosmologia, além de história e ciência política. Mesmo com tantos aspectos aparentemente difusos, ele consegue encontrar harmonia no significado que dá a todos eles e as devidas ligações que constrói para desenvolver seus artigos com base nesses assuntos.Trabalha atualmente na área de atendimento ao cidadão e é editor do blog Celentor.com.