Fachin ordena prisão de Joesley e Saud mas nega a do ex-procurador Miller.

Quem diria há  uns dois meses atrás que veríamos o senhor joesley Batista e o seu braço direito Ricardo Saud, controladores da JBS, presos? Pois é. A vida dá voltas mas as vezes para no lugar certo. Saud é o homem que dizia ter comprado a maior bancada do Congresso Nacional. Você se lembra? Joesley Batista por sua vez é o homem que admitiu ao Ministério Público Federal (MPF) ter cometido 245 crimes, mas que conseguiu o perdão total por dar ao chefe do MP, o Procurador Geral da República Rodrigo Janot, a cabeça do Presidente da República, Michel Temer (PMDB). E note que para Janot mais valia punir Temer pelos três crimes que sua imaginação esforçada conseguiu deduzir das provas invisíveis de Joesley, do que punir o delator pelos 245 crimes confessos pelo próprio ali no seu gabinete.

Como é de esperar, pessoas com incapacidade de serem honestas, como é o caso dos controladores da JBS, Joesley Batista e Ricardo Saud, uma hora acabam por trair até mesmo os que lhe dão a mão. E foi assim que o Brasil descobriu por meio de áudios vazados [ironias da vida] que havia uma espécie de plano dos empresários para destruir de vez a política e manchar o bom nome da Suprema Corte desse país. Só isso. Queriam, como eles mesmos disseram, serem a “tampa do caixão”. Sem falar na relação deles com o também braço direito, porém do PGR, o ex-procurador da República Marcelo Miller, que deixou o MPF e em 48 horas depois estava advogando em favor da JBS.

Nas gravações os delatores super-premiados deram a entender que Miller era um tipo de facilitador de  informações do que se passava na PGR em relação aos dois, e poderia de algum modo estreitar a relação dos executivos com o Procurador Geral.

Ora vejam! Esse moço não foi um bom menino para Janot não.

O PGR chegou a solicitar na última sexta (08/09) a prisão dos três, Ricardo saud, Joesley Batista e Marcelo Miller, como detenção temporária. Mas a ordem de prisão do ministro do Supremo, Edson Fachin, foi emitida na noite desse sábado (09/09) apenas para os empresários.

Miller prestou depoimento ao MPF neste mesmo sábado durante mais de dez horas.

A intenção era verificar se o ex-procurador atuou dos dois lados. Se de fato for confirmado algo assim, Marcelo praticou algo ilegal, pois como parte acusadora, o Ministério público, não havia  como oferecer informações privilegiadas à parte acusada, os então investigados por corrupção, Joesley Batista e demais executivos da JBS.

Enquanto Miller ainda está solto, Joesley e Ricardo se entregaram à Polícia Federal (PF) na tarde desse domingo (10). Atendendo espontaneamente á determinação emitida por Fachin.

E agora, quem Joesley irá delatar para sair dessa?

 

 

Karlos Souza

Nascido em Montes Claros/MG em Janeiro de 1987, morador de brasília desde 2004, estudou Letras e literatura, mas sua paixão sempre foi a tecnologia. Fazendo um pouco de tudo, Karlos estudou também teologia e aventurou-se em escatologia. Fora das ciências humanas, também tem como hobby o estudo de astronomia e cosmologia, além de história e ciência política. Mesmo com tantos aspectos aparentemente difusos, ele consegue encontrar harmonia no significado que dá a todos eles e as devidas ligações que constrói para desenvolver seus artigos com base nesses assuntos.Trabalha atualmente na área de atendimento ao cidadão e é editor do blog Celentor.com.