Música da Semana: “Liberdade” by Priscila Alcântara.

Essa é a primeira semana do ano. E não podíamos começar bem o ano sem começar com uma bela canção. Então vamos lá!

Estou de volta e espero postar mais vezes ao longo de 2018. O final de 2017 foi um pouco turbulento, mas fico feliz de ter acabado. Aninho complicado… Sem mais delongas, vamos falar da música?

Talvez você não se lembre dessa moça mas certamente já deve tê-la visto em algum lugar. Posso garantir que você a viu sim. Lembra do programa “Bom Dia & Cia” do SBT? Ela, priscila Alcântara comandava o diário infantil todas as manhãs ao lado do também cantor Yudi Tamashiro. Hoje, mulher feita, Priscila dedica-se a carreira como nunca. Na música Gospel ela é referência. E sua canção que trazemos hoje revela mais uma crítica que uma simples adoração.

“Liberdade” fala sobre a cegueira imposta pela fé cega, pelo extremismo assassino que devasta corações e mentes por aí. A cantora pode ser evangélica, mas não está alheia aos excessos praticados por quem diga-se santo e salvo.

Polêmicas a parte, a música usa e abusa da melodia hipnótica. De piano a eletro-dance, a união dessas nuances proporcionam uma imerção na reflexão que a letra levanta.  Ansioso para ouvir? Não te farei esperar muito.

 

Liberdade

Composição: Priscila Alcântara
Loading the player...

Clique na Imagem para ser direcionado ao site.

Original:

Não parece certo alguém
Que tem asas ser colocado
Dentro de uma caixa, sem ver
A luz do Sol brilhar

Pra mim, não faz sentido alguém
Que tem asas não ter o céu
Inteiro para poder voar
Se tenho asas, eu sei que o céu é o meu lugar

Eu só queria voar, eu só queria voar
Eu só queria voar, eu só queria voar

Enfim, a liberdade me ouviu
E abriu aquela caixa onde eu estava
Tentei voar, mas minhas asas
Não funcionavam mais
(Não funcionavam mais)

Eu passei tanto tempo ali
Tanto tempo que desaprendi
O que eu mais amava fazer
Que era voar com você

A liberdade me chamou de canto e disse assim
Não deixe nada te dizer quem você é
Você é o que vê em mim

Eu aprendi a voar, eu aprendi a voar
Eu aprendi a voar, eu aprendi a voar

Você me ensinou a voar, Você me ensinou a voar
Eu aprendi a voar quando te vi em mim

Eu aprendi a voar, eu aprendi a voar (quando te vi em mim)
Quando te vi em mim, quando te vi em mim

A liberdade me chamou de canto e disse assim
Não deixe nada te dizer quem você é
Você é o que vê em mim

Karlos Souza

Nascido em Montes Claros/MG em Janeiro de 1987, morador de brasília desde 2004, estudou Letras e literatura, mas sua paixão sempre foi a tecnologia. Fazendo um pouco de tudo, Karlos estudou também teologia e aventurou-se em escatologia. Fora das ciências humanas, também tem como hobby o estudo de astronomia e cosmologia, além de história e ciência política. Mesmo com tantos aspectos aparentemente difusos, ele consegue encontrar harmonia no significado que dá a todos eles e as devidas ligações que constrói para desenvolver seus artigos com base nesses assuntos.Trabalha atualmente na área de atendimento ao cidadão e é editor do blog Celentor.com.