A Coreia do Norte e suas ameaças ao mundo: País testa bomba “H”.

A Coreia do Norte é como um chihuahua barulhento e valentão. Consegue ser impertinente e ousado acima de sua real posição em comparação com os demais. A diferença entre o país e o cão, é que o cãozinho é querido pela maioria de nós, já a Coreia do Norte… A nova da fazenda de humanos de Kim Jong-un foi ter realizado o teste de uma bomba de hidrogênio, também conhecida como “Bomba H”. 

O teste aconteceu neste domingo e provocou reações imediatas. De países notoriamente  opositores ao desmando e petulância de Kim Jong-un, como a Coreia do Sul e Japão, como também de aliados eternos, como é o caso da China.
É o sexto teste nuclear norte-coreano e primeiro do país com uma bomba tão moderna e destrutiva como é a bomba de hidrogênio. A TV estatal do país comemorou e divulgou com júbilo o sucesso do teste realizado.

A Coreia do Norte já havia divulgado possuir o armamento neste sábado (02/09), porém não recebeu créditos de que de fato possuisse capacidade técnica de engendrar um equipamento tão avançado sem o apoio e conhecimento externo. Contudo fizeram. E não só desenvolveram como também  a puseram em funcionamento. O resultado foi um terremoto sentido na península coreana chegando ao nordeste da China, com o qual faz fronteira. Abalo sísmico que teve réplica dez minutos depois, possivelmente após o desabamento da rocha devido aos prováveis danos que sofreu com a explosão. Os tremores foram registrados pelo instituto geológico chinês.

O Conselho de Segurança da ONU  já impôs sete blocos de sanções ao Norte afim de tentar dissuadi-lo de sua  obssessão por armas de potencial destruição em massa. Mas o país tem se negado a parar os testes de armas nucleares e mísseis balísticos. É o segundo teste nuclear do regime comunista   em  um ano apenas. É evidente que suas ameaças constantes podem significar uma ação desastrosa eminente. Exatamente nesse sentido que os países da área ao redor da península coreana tem pedido calma e ação contudente da ONU para sanar a ameaça.

Recentemente  o Norte testou um míssil que sobrevoou o arquipélago japonês e pôs  aquela nação em extrema atenção. O ato foi visto como ofensivo e ameaçador, e com razão, devo acrescentar. Pyongyang está excedendo em muito os limites do bom senso e as nações mais poderosas do mundo não sabem o que fazer com  a situação.

Como deter um  Chihuahua extremamente metido a besta com força nuclear e que tem mania de ver inimigos por toda parte, sem que vidas inocentes sejam perdidas?

Essa é a grande questão.  As bombas “H” são muito mais violentas em poder de destruição do que as atômicas que o Norte já testou. Bombas nucleares funcionam com o princípio da fissão nuclear, que consiste na divisão de átomos  pesados de plutônio ou urânio enriquecidos. A bomba “H” não tem como centro de  sua mecânica  apenas o rompimento dos átomos, mas sim na fusão de dois de hidrogênio. A magnitude  da energia resultante é imensa.

Segundo especialistas sul-coreanos, o novo teste nuclear foi 5 ou 6 vezes mais poderoso que o anterior promovido por Kim Jong-un em Setembro de 2016.
Não é preciso extrapolar em muito sua imaginação, caro leitor, para somar os testes bem sucedidos de mísseis norte-coreanos com seus aparatos nucleares e concluir que o resultado pode ser uma dor de cabeça global.

 

Com Informações de: Correio Braziliense

Karlos Souza

Nascido em Montes Claros/MG em Janeiro de 1987, morador de brasília desde 2004, estudou Letras e literatura, mas sua paixão sempre foi a tecnologia. Fazendo um pouco de tudo, Karlos estudou também teologia e aventurou-se em escatologia. Fora das ciências humanas, também tem como hobby o estudo de astronomia e cosmologia, além de história e ciência política. Mesmo com tantos aspectos aparentemente difusos, ele consegue encontrar harmonia no significado que dá a todos eles e as devidas ligações que constrói para desenvolver seus artigos com base nesses assuntos.Trabalha atualmente na área de atendimento ao cidadão e é editor do blog Celentor.com.