Como previsto, Lula é condenado. O que vem por aí?

Como já era esperado, o juiz Sérgio Moro da 13ª Vara de Justiça Federal de Curitiba, emitiu sentença condenando o ex-presidente Lula  pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. A condenação apresentada num documento de 238 páginas, foi divulgada nessa terça feira (12) e imediatamente começou a repercutir entre petistas e na sociedade.

Para petistas a condenação é fruto de uma atitude política onde a “real intenção” seria impedir Lula de se candidatar à Presidência. Cabe ressaltar que mesmo condenado em primeira instância, qualquer pessoa tem o direito de votar e ser votado. Conforme estabelece a lei complementar nº 134 de 2010 (Lei da Ficha Limpa), o cidadão torna-se inelegível porém, após ter sido condenado em um tribunal colegiado, ou com sentença transitada em julgado (sem direito a recursos).

Esse resultado é apenas o primeiro de outros processos que Lula responde na Lava Jato, além do processo ‘mãe’ do chamado “petrolão” que tramita no Supremo tribunal Federal (STF). E mediante à conclusão de que o petista recebeu benefícios indevidos no triplex que ele alega não ser de sua propriedade, Lula foi condenado a 9 anos e meio pelo juiz Moro.

Pergunto-me, por que não quis o destino que Joesley Batista caísse nas mãos de Moro?

Se você, caro leitor, tem costume de analisar o comportamento de nossos políticos, já deve ter percebido que o PT e os seus aliados têm brigado contra o Governo Temer e pedido eleições diretas imediatas. Não é coincidência. Após as crises de estrelismo do Proprietário Geral da República, Rodrigo Janot, e dos seus fiéis subordinados, Deltan Dallagnol e Carlos Fernando, todos os políticos se tornaram, na visão da sociedade, semelhantes ao Lula. Se assim o é, mais vale um político que rouba mas deixa a economia como estava no auge do governo petista, ou um que rouba mas permite crises e desemprego alto? Embora a maioria dos cidadãos não compreendam que a situação econômica do país é fruto de 13 anos de incopetência daquele governo, eles acham que Lula foi um bom Presidente.

Se todos são iguais, significa que no caso do petista, pelo menos ele promove o crescimento do país. Eu espero que você, caro leitor, entenda que isso é uma falácia absurda.

No entanto, é com essa visão comum entre os brasileiros, que Lula está retomando a frente nas pesquisas, hoje com cerca de 30% de intenções de votos. Talvez a condenação dele possa sim alterar essa situação, mas a depender, os que já estão descrentes do país e decepcionados com a impunidade, podem sequer cogitar a possibilidade de deixarem de votar em Lula, mesmo estando ele condenado.

O que ocorre é que para o PT e aliados, talvez mesmo que eles possuam alguma margem de vantagem em pesquisas de intenções, o ideal é que as eleições ocorressem o mais breve possível. Neste aspecto, derrubar Temer e exigir que o Congresso aprove alguma PEC que permita antecipar as eleições, é imperativo.

Absurdo? Claro. Eu também penso ser.

Porém quando observamos as atitudes do sr. PGR e sua pressa para que Temer caia, imagino que ele queira fragilizar tanto o Presidente Michel temer e sua base, talvez para que Lula consiga recobrar o fôlego que já estava retomando.

É cedo ainda para avaliar quais impactos terão a condenação de Lula perante seus pretensos eleitores. Contudo posso prever que para o petista e os formadores de opinião que os segue, a encenação de martírio deve se tornar o cerne da questão.  Obviamente o discurso de que o petista está sendo vítima de perseguição política e de que ele é uma espécie de injustiçado, vai predominar.

Karlos Souza

Nascido em Montes Claros/MG em Janeiro de 1987, morador de brasília desde 2004, estudou Letras e literatura, mas sua paixão sempre foi a tecnologia. Fazendo um pouco de tudo, Karlos estudou também teologia e aventurou-se em escatologia. Fora das ciências humanas, também tem como hobby o estudo de astronomia e cosmologia, além de história e ciência política. Mesmo com tantos aspectos aparentemente difusos, ele consegue encontrar harmonia no significado que dá a todos eles e as devidas ligações que constrói para desenvolver seus artigos com base nesses assuntos.Trabalha atualmente na área de atendimento ao cidadão e é editor do blog Celentor.com.